Fundação Casa de Cultura: “Lívvia não será esquecida”

Instituição lamentou os crimes de feminicídio e disse que “proclamações misóginas jamais serão toleradas”

Fundação Casa de Cultura: “Lívvia não será esquecida”
Foto: Reprodução/Instagram/Álbum pessoal

A Fundação Casa de Cultura de João Monlevade publicou em suas páginas nota de pesar e solidariedade pela morte da cantora e influenciadora Lívvia Bicalho, 37.

“Hoje uma cidadã monlevadense foi roubada de nós. Uma mulher, uma artista, uma mãe, irmã e filha. A Fundação Casa de Cultura de João Monlevade declara sua solidariedade e apoio a todos que amaram Lívia Bicalho”, manifestou a instituição pública, presidida por Nadja Lirio Furtado.

A Fundação repudiou o assassinato da artista. “Estendemos o nosso carinho a todas as famílias vítimas de feminicídio e declaramos que quaisquer proclamações misóginas que tentem justificar esses crimes jamais serão toleradas. Lívia não será esquecida. Sua música e memória permanecerão”.

Nascida em Nova Era, Lívia Gicelle Bicalho Domingues – que assinava o nome artístico ‘Lívvia’ Bicalho – foi assassinada nesta quarta-feira (21/04) no apartamento em que morava no bairro JK, em João Monlevade. Segundo a polícia, ela foi morta pelo namorado, Rafael Ribeiro Pinto, 39, que se matou em seguida.

MAIS NOTÍCIAS