Greve em BH: motoristas não cumprem decisão judicial que exige mínimo de 60% da frota de ônibus

Greve havia sido suspensa no dia 23 de novembro, mas paralisação volta a ser feita na capital

Greve em BH: motoristas não cumprem decisão judicial que exige mínimo de 60% da frota de ônibus
(Foto: Sara Zeferino)

O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (TRT-MG), após conhecimento sobre greve em Belo Horizonte, determinou que os motoristas de ônibus da capital devem manter o mínimo de 60% da frota de coletivos circulando na cidade. A decisão foi divulgada na noite dessa quarta-feira (1).

Porém, em levantamento realizado pela BHTrans, no qual o órgão mostra a situação do movimento dos ônibus em Belo Horizonte, a decisão do TRT-MG não está sendo cumprida. Segundo os dados da BHTrans, entre as 7h e 8h, somente 32% das viagens programadas foram realizadas.

Já no período entre 0h, horário em que deu início a paralisação, e as 8h, foram realizadas 29,5% das viagens programadas.

Sem acordo, greve retornou

O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Belo Horizonte e Região (STTR-BH) reivindica reajuste salarial e outros direitos trabalhistas para a categoria. Porém, mesmo após reuniões, os motoristas não chegaram a um acordo com os empresários e a greve foi retomada em Belo Horizonte.

A DeFato conversou com um representante do sindicato, que tem posicionamento pessimista quanto a acordo direto com os empresários. Ele acredita que um acordo só possa ser concretizado se houver mediação do TRT-MG.

MAIS NOTÍCIAS