Missão chinesa deverá durar uma semana em Itabira

A estadia dos chineses que negociam investimentos com a Prefeitura de Itabira deverá durar uma semana, segundo o secretário municipal de Governo, Ilton Magalhães. De acordo com ele, trâmites burocráticos ainda precisam ser superados para confirmar a data exata da chegada da comitiva. O mais provável é que acontece no início de junho. Duas previsões […]

Missão chinesa deverá durar uma semana em Itabira
Prefeito Ronaldo visitou a China em dezembro do ano passado – Foto: Divulgação

A estadia dos chineses que negociam investimentos com a Prefeitura de Itabira deverá durar uma semana, segundo o secretário municipal de Governo, Ilton Magalhães. De acordo com ele, trâmites burocráticos ainda precisam ser superados para confirmar a data exata da chegada da comitiva. O mais provável é que acontece no início de junho.

Duas previsões projetadas pela Prefeitura para a vinda dos chineses não se confirmaram. Primeiro, era esperado que a visita acontecesse em abril. Depois, em maio. Não havia, no entanto, uma certeza sobre as datas. Segundo Ilton Magalhães, o que tem emperrado a definição é uma formalidade exigida pelos representantes asiáticos.

“Enviamos o convite à China, eles receberam via e-mail e agora aguardam o original via Sedex. Para eles é necessário o original chegar”, comentou o secretário de Governo. Ainda segundo Ilton, é possível que a comitiva cumpra outras agendas no Brasil além do período de estadia em Itabira.

O acordo

Itabira enxerga nos dólares chineses uma alternativa para concluir projetos que reforçariam a economia local e acelerariam a independência da mineração. O município requer U$ 210 milhões, que chegariam aos cofres locais como uma espécie de empréstimo a ser pago ao longo dos próximos anos. Em contrapartida, a Prefeitura ofereceria como garantia a Compensação Financeira por Exploração Mineral (Cfem) que tem a receber da Vale.

O dinheiro que Itabira busca seria investido na conclusão do campus da Unifei, construção de um parque científico tecnológico e de um aeroporto industrial.

O acordo é costurado desde 2017 e, em dezembro do ano passado, o prefeito Ronaldo Lage Magalhães (PTB) esteve no país asiático em uma agenda que contou com rodadas de encontros com empresários e representantes de órgãos governamentais. As conversas são conduzidas com a empresa China A Aluminium International Engineering Corporation Limited (Chalieco), braço de engenharia da Aluminium Corporation of China (Chinalco), uma holding estatal líder mundial em produção de alumínio.

Durante a visita dos chineses, as duas partes deverão assinar o Memorando de Entendimento (MOU), documento que estabelece as bases da negociação.