Motociata em SP leva grande número de apoiadores de Bolsonaro às ruas

Em discurso, Bolsonaro falou na possibilidade de suspender a obrigatoriedade de uso de máscaras por pessoas já vacinadas e defendeu o trabalho do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles

Motociata em SP leva grande número de apoiadores de Bolsonaro às ruas
Foto: Alan Santos/PR

Milhares de motociclistas fizeram uma manifestação em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no sábado (12), em São Paulo. O ato seguiu da região do Sambódromo pela Marginal do Tietê até a Rodovia dos Bandeirantes, onde o grupo foi até o trevo do km 62, na altura de Jundiaí, e retornou em direção ao Ibirapuera, onde Bolsonaro discursou em um carro de som. A manifestação foi organizada por integrantes de clubes de tiro e de motociclismo do interior de São Paulo e região.

Ao sair para a motociata, acompanhado de um apoiador na garupa, o presidente agradeceu o convite dos manifestantes e disse “acelera para Cristo”. O número de pessoas no evento não foi confirmado pela Polícia Militar (PM). No entanto, o que se sabe é que a polícia teve de disponibilizar mais de 6 mil policiais para mitigar os impactos do ato no trânsito, uma vez que havia preocupação de que a manifestação pudesse impactar o comércio no 12 de junho, Dia dos Namorados, quarta data comercial mais importante do ano.

O alto número de manifestantes chegou a lotar toda a pista sentido praça Campo de Bagatelle da Olavo Fontoura. Para entrar no “pelotão”, cada motociclista teve que passar por um posto de revista montado pela segurança presidencial. A estrutura usada para o ato político em favor do presidente incluiu, ainda, gradis em toda extensão da Olavo Fontoura para proteger os participantes.

No discurso no final da motociata, Bolsonaro voltou a falar na possibilidade de suspender a obrigatoriedade de uso de máscaras por pessoas já vacinadas, defendeu o trabalho do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e fez novo aceno aos motociclistas, ao falar de isenção de pedágio nas futuras concessões de rodovia.

Bolsonaro repetiu que pediu um estudo ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre a possibilidade de sugerir a não obrigatoriedade do uso de máscara para vacinados. “Quem for contra não acredita na ciência. Não tem como vacinado transmitir o vírus”, disse. Mas, segundo especialistas, pessoas vacinadas podem transmitir o coronavírus e, por isso, o uso de máscaras segue recomendado à população.

Outras manifestações

No dia 28 de maio, Bolsonaro participou de ato similar, com grande público, no Rio de Janeiro, onde foi recebido pelo governador Cláudio Castro (PSC) e dividiu palanque com o general e ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

* Com Estadão Conteúdo.

MAIS NOTÍCIAS