PCMG conclui inquérito sobre homem acusado de estuprar oito crianças em Minas

Suspeito foi preso em outubro deste ano após estar foragido desde 2000

PCMG conclui inquérito sobre homem acusado de estuprar oito crianças em Minas
Crime ocorreu no município de Arinos, noroeste do estado. Foto: Acervo Setur-MG/Odair dos Santos

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu, nessa quarta-feira (24), o inquérito policial que apurou o crime de estupro de vulnerável cometido contra pelo menos oito crianças, nos últimos 20 anos, em Arinos, Noroeste de Minas. O suspeito, de 49 anos, foi preso temporariamente pela PCMG no dia 28 de outubro. Ele estava foragido da Justiça do Rio de Janeiro desde o ano 2000, e se escondeu no Noroeste do estado utilizando-se de documentos falsos.

Esse ciclo de violência começou a ser quebrado quando quatro mulheres decidiram ir até a delegacia de polícia relatar o que havia acontecido quando eram crianças. Após a denúncia inicial, outras vítimas foram descobertas. As investigações sobre os estupros iniciaram no dia 19 de outubro.

Uma das testemunhas relatou que o suspeito, um dia depois de chegar a uma fazenda, local onde teria sido acolhido, começou a abusar sexualmente da filha do dono da casa que o hospedou. De acordo com o apurado, a prática perdurou por anos, não só com essa vítima, mas com várias outras crianças, geralmente meninas entre 6 e 11 anos de idade, que eram obrigadas a manter relações sexuais com o investigado.

Mesmo sendo um crime de difícil apuração, por conta do tempo de ocorrência dos fatos, a investigação se desenvolveu. À PCMG, as vítimas narraram o mesmo modo de agir do suspeito, nos mesmos locais, utilizando de ameaças semelhantes.

Após a prisão do investigado, outras pessoas foram ouvidas. Entre elas, uma testemunha disse que o suspeito tentava agradar a filha dela, de 2 anos de idade, e pedia para que ele pudesse passear sozinho com a menina.

Segundo as investigações, a maioria das crianças que foram violadas, ameaçadas e agredidas, apresentam sequelas na vida adulta, com sintomas de baixa autoestima, depressão e síndrome do pânico.

*Com informações da Polícia Civil de Minas Gerais

MAIS NOTÍCIAS