Vale pagará em torno de 3,5 salários de PLR a trabalhadores de Itabira

Sindicato Metabase lamenta índice menor que o esperado e afirma que a empresa coloca nas costas dos empregados o prejuízo da tragédia de Brumadinho

Vale pagará em torno de 3,5 salários de PLR a trabalhadores de Itabira
Reunião definiu rumos da PLR em Itabira – Foto: Acom/Metabase

Em nova reunião nessa quinta-feira (20), em Belo Horizonte, a Vale e Sindicato Metabase definiram os rumos do pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) a trabalhadores de Itabira. A empresa indicou o pagamento de cerca de 3,5 salários a título do benefício, que serão depositados em março. O valor desagradou os líderes sindicais, que afirmam que a mineradora joga nas costas dos funcionários os prejuízos da tragédia de Brumadinho.

De acordo com o presidente do Metabase, André Viana, apesar de o índice ser considerado baixo pelos representantes sindicais, poderia ter sido ainda mais inferior se não fosse a pressão exercida durante as reuniões de negociações, chamadas por ele de “saga”. André reclamou de informações inverídicas disparadas nas últimas semanas e alegou que foi preciso muita mobilização para manter um ganho real aos trabalhadores.

Na reunião dessa quinta-feira foi verificado que a aplicação do painel de metas e da nota global da Vale colocaria os valores da PLR bem inferior aos anos anteriores. Depois de muita discussão, a empresa resolveu ajustar o painel de metas por meio de um aditamento no Acordo Coletivo de PLR de 2019, ocasionando um aumento substantivo no índice a ser pago.

O conteúdo continua após o anúncio

Segundo números apresentados aos sindicalistas, a Vale registrou um prejuízo de US$ 1,683 bilhão em 2019, comparado ao lucro líquido de US$ 6,860 bilhões em 2018. Os representantes dos trabalhadores, no entanto, se basearam no bom resultado da receita operacional líquida da mineradora no ano passado, com alta de 2,7% (US$ 37,570 bilhões, contra US$ 36,575 bilhões em 2018), para insistir em uma melhor PLR.

“Um dos maiores fatores responsáveis por isso (resultado ruim da Vale), todos sabem, foi o rompimento da barragem de Brumadinho. Mas sempre afirmamos que as minas de Itabira não pararam e os trabalhadores mantiveram a linha de produção, evitando um prejuízo que poderia ter sido no mínimo o dobro. Por isso, merecemos o valor de PLR diferenciado do valor global”, defendeu o presidente André Viana.

O sindicalista afirma que o pagamento da PLR deve injetar na economia Itabirana cerca de R$ 40 milhões, que, somados à expectativa do superávit Valia BD, de 10.1 suplementações, pago também em março aos aposentados e pensionistas, podem ultrapassar os R$ 70 milhões.

MAIS NOTÍCIAS