Com obras praticamente finalizadas, anel hidráulico tem primeiros testes em Itabira

Estrutura é peça importante para o novo e unificado sistema municipal de abastecimento hídrico

Com obras praticamente finalizadas, anel hidráulico tem primeiros testes em Itabira
Prefeito Ronaldo, diretor do Saae e secretário de obras conferiram de perto a nova estrutura do anel hidráulico – Foto: Acom/PMI

Na última semana, a Prefeitura deu início aos primeiros testes no anel hidráulico. O prefeito Ronaldo Magalhães; o secretário municipal de Obras, Transportes e Trânsito, Ronaldo Pires Lott; e o diretor-presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira, Leonardo Ferreira Lopes, acompanharam o processo na rodovia 105, onde está localizado um dos registros de descarga do sistema.

O processo foi iniciado pelo comissionamento do anel, quando a tubulação recebeu a água que estava no novo reservatório instalado no bairro Campestre, utilizada anteriormente para o seu teste de estanqueidade. “Estamos realizando um teste hidráulico, que corresponde ao abastecimento da rede. Com isso, nós comprovamos que a água já circulou no anel”, explicou Ronaldo Lott.

Embora os testes tenham começado, segundo o secretário, a obra não está concluída. “Estamos terminando os trabalhos, como recuperação de pavimentos, limpeza e todos os reparos necessários. Essa etapa é feita no final porque, nos testes, podem ocorrer problemas os quais precisaremos abrir para corrigir. É o processo natural de uma obra”, garantiu Ronaldo Lott.

O secretário de Obras ressaltou ainda a dificuldade de construção do anel hidráulico, iniciado em agosto do ano passado. “É uma obra bastante complexa porque é subterrânea. Nós tivemos várias interferências que não foram mapeadas. Por exemplo, as travessias do viaduto do (bairro) Areão e a da passagem de nível na Vila Paciência foram dificultosas. No mais, os trabalhos transcorreram dentro da normalidade, ainda que gerando transtorno para a população porque foi feito dentro de vias urbanas muito movimentadas”, finalizou.

O conteúdo continua após o anúncio

O Município investiu R$ 5.827.643,18 milhões no anel hidráulico, sendo R$ 2.427.643,18 milhões para executar a obra e R$ 3,4 milhões na aquisição do material – mais de seis mil metros de tubos de ferro fundido, o que corresponde a 1.020 peças de 400 milímetros.

Água

O anel hidráulico é uma importante etapa do novo sistema de abastecimento de Itabira. A obra, que compreende seis quilômetros de rede, interliga os sistemas Gatos, Pureza, Três Fontes, Areão e Rio de Peixe.

“É um projeto que tínhamos em mente desde os primeiros dias de governo e agora está praticamente pronto. Com ele, temos a possibilidade de receber a água da região de Gatos, que vai incrementar, agora, mais 100 litros por segundo. O anel é o princípio do novo sistema de abastecimento de água e que ajuda bastante a cidade nesse momento, principalmente no período de seca que se aproxima”, analisou o prefeito Ronaldo Magalhães.

Na prática, o anel liga o novo reservatório construído no bairro Campestre à adutora do Areão, já conectada aos reservatórios dos bairros Juca Batista e Fênix. Com a unificação do sistema, segundo estudos do Saae e da Prefeitura, a gestão hídrica é otimizada para distribuir a água, igualmente, a toda população.

Praticamente finalizada a construção do anel hidráulico, o prefeito afirmou que os esforços já estão direcionados para a execução do projeto Rio Tanque. “É importante lembrar que vamos trabalhar, a partir de agora, o Rio Tanque. Estamos ajustando como fazer e vamos buscar as alternativas técnicas e financeiras. Iremos incrementar em torno de 600 a 700 litros de água por segundo no sistema de abastecimento itabirano. É um volume grande de água que vai dar condição para abastecer todo o município, por um período de, pelo menos, 30 a 40 anos”, concluiu Ronaldo Magalhães.

MAIS NOTÍCIAS