Itabira está na zona de perigo em potencial de geada

Outras cidades do Médio Piracicaba também podem presenciar o fenômeno nos próximos dias. Há previsão de temperaturas abaixo dos 5°C

Itabira está na zona de perigo em potencial de geada
Foto: Reprodução / Inmet
O conteúdo continua após o anúncio


Desde a última segunda-feira (16), o Brasil vem presenciando uma onda de frio antecipada. Diversas regiões do país já registram recordes históricos de baixas temperaturas. Na região do Médio Piracicaba não é diferente. Na última noite, os termômetro itabiranos registraram mínima de 7°C. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Itabira – entre outras cidades – figura na zona de perigo em potencial de geada.

Vale lembrar que a geada ocorre quando é formada uma camada de gelo nas superfícies, por causa da intensa redução de temperatura e umidade do ar elevada. No alerta emitido pelo INMET, o risco de geada está previsto para a madrugada de quinta (19) para sexta (20), entre a 3h e as 8h. Esse tipo de fenômeno natural pode gerar perda de plantações e oferecer riscos à saúde. A temperatura mínima prevista pode chegar até os 3ºC.

Além de Itabira, outras as cidades da região que receberam o alerta:

Abre Campo
Alvinópolis
Alvorada de Minas
Antônio Dias
Barão de Cocais
Bela Vista de Minas
Belo Horizonte
Betim
Bom Jesus do Amparo
Brumadinho
Caeté
Carmésia
Catas Altas
Conceição do Mato Dentro
Confins
Contagem
Coronel Fabriciano
Diamantina
Dionísio
Dom Joaquim
Dom Silvério
Dores de Guanhães
Ferros
Governador Valadares
Guanhães
Ibirité
Ipatinga
Itabira
Itabirito
Itambé do Mato Dentro
Jaguaraçu
João Monlevade
Mariana
Nova Era
Nova Lima
Nova União
Ouro Preto
Passabém
Ribeirão das Neves
Rio Casca
Sabará
Santa Bárbara
Santa Luzia
Santa Maria de Itabira
Santo Antônio do Rio Abaixo
São Domingos do Prata
São Gonçalo do Rio Abaixo
São Sebastião do Rio Preto
Senhora do Porto
Timóteo

Erupção polar

Esse período de frio intenso tem sido conhecido como “erupção polar”. Apesar do termo não existir na meteorologia, ele é usado para explicar o impacto da onda de frio atípico, explicado pela conjunção de uma série de fatores climáticos.

Um deles é o fenômeno La Niña, que acontece quando há resfriamento das águas da região central do Oceano Pacífico. Ele deixa a atmosfera mais fria e temperaturas despencam. Há ainda o deslocamento de uma massa de ar polar vinda da Antártida. Por fim, as passagens de um ciclone extratropical pelo sul do continente, bem como a tempestade subtropical, Yakecan, ao longo da costa brasileira geram frentes frias – ao mesmo tempo -,  aumentando a umidade e a possibilidade de chuva, ventos fortes, geadas e neve.

MAIS NOTÍCIAS