Mulher é presa por torturar e tentar matar as duas filhas

Caso aconteceu em Taiobiras. Segundo a Polícia Civil, as vítimas tem 7 e 8 anos e foram agredidas com tapas, socos e golpes com cadeado

Mulher é presa por torturar e tentar matar as duas filhas
Foto: Divulgação / Prefeitura de Taiobeiras

Uma mulher de 26 anos foi presa por suspeita de torturar e tentar matar as duas filhas, de 7 e 8 anos, e uma amiga das meninas, de 13 anos, em Taiobeiras, no Norte de Minas. A Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão contra ela na quinta-feira (23).

De acordo com as investigações, a mulher submetia às filhas a agressões que envolviam tapas, socos, golpes com cadeado e ainda tentou matá-las usando uma faca. Segundo a Polícia Civil, os crimes foram registrados no dia 7 de setembro. Após a suspeita consumir uma grande quantidade de álcool, enquanto retornava para casa, ela começou a agredir as filhas no meio da rua com tapas e puxões de cabelo.

Segundo a Polícia Civil, durante o interrogatório a investigada alegou que estava com raiva das filhas por elas terem confidenciado ao pai que a mãe estava fazendo o uso de drogas. As vítimas relataram que ao chegarem em casa, a mulher usou um cadeado para bater várias vezes na cabeça das crianças e, puxando-as pelo cabelo, bateu a cabeça de uma na outra.

“Não satisfeita, ela pegou uma faca, jogou a filha de 8 anos no chão, sentou em cima dela e tentou acertá-la várias vezes, não conseguindo devido ao estado de embriaguez em que estava”, disse o delegado Alessandro da Silva Lopes, responsável pelo caso.

Conforme o delegado, enquanto tentava acertar a criança, a vítima gritava para que a mãe não a matasse e a todo tempo tentava beijá-la. “Nesse momento, a garota de 13 anos, amiga de uma das vítimas, gritou para a suspeita parar. Ela se levantou e correu atrás dela com uma faca, também para tentar matá-la”, acrescenta Lopes.

A adolescente conseguiu pedir ajuda a um vizinho que chegou no exato momento em que mulher tentava mais uma vez esfaquear a filha de 8 anos. O homem conseguiu segurá-la e tomou a faca dela.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, no dia dos fatos, a suspeita chegou a ser presa em flagrante, mas negou todas as acusações e só admitiu que tinha bebido. Mas, dias depois, ela conseguiu a liberdade provisória. Como os fatos são graves e configuram crime de tortura, o delegado Alessandro Silva pediu a prisão da mulher. “Por isso, representei pela prisão da suspeita, que foi devidamente cumprida”, informou.

As crianças estão sob custódia da avó paterna, em Taiobeiras, e a mulher foi encaminhada para o sistema prisional, onde permanece à disposição da Justiça.

MAIS NOTÍCIAS