Passageiros reclamam de lotação e atraso dos ônibus em Itabira

Na tarde desta sexta-feira (20), a reportagem da DeFato Online foi às ruas da cidade acompanhar e saber o que as pessoas pensam da situação

Foto: DeFato
O conteúdo continua após o anúncio


Os passageiros que dependem de ônibus em Itabira têm sofrido com as aglomerações em meio à pandemia de coronavírus. Na tarde desta sexta-feira (20), a reportagem da DeFato Online foi às ruas da cidade acompanhar e saber o que as pessoas pensam da situação. Dentre as principais reclamações: lotação e atraso.

Nos últimos meses, temos ouvido bastante a frase “respeite o distanciamento social”, mas quando o assunto é transporte público, o quadro se apresenta de forma diferente, conforme conta a comerciante Aparecida de Oliveira.

“Geralmente eu pego ônibus na parte da tarde e tenho notado que quando ele vem do centro ao Bela Vista, ele costuma vir bem cheio. O caminho inverso nem tanto, mas vindo para cá, algumas vezes, até tive de ficar em pé”, contou.

Quem também tem se incomodado bastante com a lotação, é a aposentada Maria Eneusa, do bairro Campestre. Além deste problema, ela também reclama da falta de orientação por parte da empresa e dos atrasos.

“Uma coisa que têm sido exigida dentro dos ônibus, é uso obrigatório das máscaras, não vou mentir. Mas fora isso, não há nenhum tipo de orientação, não há distanciamento e outros cuidados necessário. Além disso, eles estão sempre atrasados. Eu tenho várias possibilidades de ônibus que podem me deixar aqui no bairro, mas mesmo assim, chego a ficar mais d de 40 minutos plantada no ponto”, queixou Maria Eneusa.

O conteúdo continua após o anúncio

A redução no quadro de horários, tem refletido diretamente no atraso dos ônibus. Elton Gonçalves, morador do bairro Pedreira, contou que já viu muitas pessoas passarem horas no ponto, por não estarem cientes da escala atual de transportes:

“Eu só não tenho muitos problemas com o horário porque já me adaptei a escala, mas muitas pessoas não sabem e acabam perdendo boa parte do tempo delas aguardando o ônibus” ressaltou.

Horários

Embora o comércio de Itabira esteja em horário convencional desde agosto, a Cisne, responsável pelo transporte público na cidade, não retornou com os horários normais. A justificativa é de que o transporte coletivo teve uma queda considerável nos números de passageiros.

Após uma matéria feita pela DeFato Online em setembro, até foram criados novos horários, mas vários carros continuam parados. Os gráficos apresentados pelo conselho na reunião realizada esta semana apontam uma queda brusca de 2019 para 2020, tanto no número de usuários, quanto no de viagens.

Cisne

A reportagem da DeFato entrou em contato com a empresa responsável pelo transporte público na cidade, mas até o fechamento da matéria não tivemos um retorno.

MAIS NOTÍCIAS