Possibilidade de desabastecimento lota postos de combustíveis em Itabira

No Centro da cidade, foi preciso atuação da Polícia Militar e da Transita para controlar o fluxo de veículos

Possibilidade de desabastecimento lota postos de combustíveis em Itabira
Centro de Itabira tem fluxo intenso de veículos em busca de combustíveis – Foto: Wesley Rodrigues/DeFato

A greve dos caminhoneiros provoca efeitos em Itabira. Desde o fim da tarde desta quarta-feira, 23 de maio, é intenso o movimento nos postos de combustíveis da cidade. Preocupados com a possibilidade de desabastecimento, centenas de motoristas recorrem às bombas para não ficarem sem gasolina ou etanol caso a paralisação prossiga nas rodovias federais.

Os caminhões-tanque que abastecem os estoques dos postos de todo Brasil estão parados nas rodovias e impedidos de continuarem as viagens. Em Minas Gerais, os manifestantes também se concentram na entrada da refinaria de Gabriel Passos, em Betim, principal distribuidora da Petrobrás no estado. O protesto é justamente contra os preços altos dos combustíveis, sobretudo o diesel.

Em Itabira, há postos que já lacraram bombas e informam os clientes que não têm combustíveis a oferecer. Os que tinham uma grande reserva recebem centenas de motoristas e há intenso congestionamento nas imediações.

No início desta noite, a reportagem de DeFato Online flagrou a movimentação em postos nos bairros Esplanada da Estação, Praia, Gabiroba e São Pedro. No Centro da cidade, a situação é ainda mais caótica. A avenida João Pinheiro está com trânsito pesado e lento desde o Terminal Rodoviário Genaro Mafra até a praça Acrísio de Alvarenga. Há postos nas duas extremidades da via e um terceiro no meio. Todos estão abarrotados de carros.

A Polícia Militar e agentes da Transita fazem o controle do trânsito no Centro da cidade.