HNSD pede ajuda dos vereadores para conseguir recursos com a Prefeitura de Itabira

A instituição hospitalar pleiteia verbas para reformar a sua cozinha e atender exigências da Vigilância Sanitária Estadual

HNSD pede ajuda dos vereadores para conseguir recursos com a Prefeitura de Itabira
Márcio Labruna e Edmilson Brandão participaram da reunião da Câmara de Itabira na terça-feira – Foto: Gustavo Linhares/DeFato
O conteúdo continua após o anúncio


Representantes do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD) utilizaram a tribuna da Câmara Municipal de Itabira na última terça-feira (10) para solicitar o apoio da Câmara Municipal de Itabira para viabilizar recursos para execução de projetos para ampliar a estrutura de atendimento da instituição. A apresentação foi feita pelo provedor do centro médico, Márcio Antônio Labruna, e pelo gestor de projeto Edmilson Celso Brandão. Dentre os investimentos mais urgentes, está a reforma e ampliação da cozinha hospitalar — e o HNSD tenta viabilizar junto à Prefeitura de Itabira os valores para o empreendimento.

De acordo com as informações apresentadas, o HNSD possui 177 leitos de internação, sendo 104 destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e outros 73 disponíveis para a saúde suplementar — planos de saúde e particular. Porém, esse número deve aumentar, já que a instituição trabalha para a abertura de dez novos leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para atender a demanda gerado pelos novos serviços de alta complexidade que a instituição pretende oferecer. Esse projeto está avaliado em R$ 4 milhões e está na fase de captação de recursos.

Além disso, está previsto a construção de mais 20 leitos de enfermagem também para atender os serviços de alta complexidade. Para isso, são necessários outros R$ 3,5 milhões, valor que o hospital tenta captar.

Ainda segundo o cronograma de investimentos da instituição, a construção da radioterapia transformará o hospital em um centro de alta complexidade em tratamento de câncer. Esse projeto está avaliado em mais de R$ 15 milhões, com recursos já assegurados pelo governo federal — com a previsão de liberação da ordem de serviço para os próximos meses.

Por fim, o projeto que precisa de atenção com mais urgência é a expansão da cozinha hospitalar e vestiário. Esse empreendimento é necessário para atender o aumento de demanda de serviços e pacientes, além de cumprir exigências da Vigilância Sanitária Estadual. Essa obra custará R$ 2,5 milhões e o HNSD pleiteia parte dos recursos devolvidos pela Câmara de Itabira para a Prefeitura, no final de 2021, para custear a empreitada.

Apoio do Legislativo

Edmilson Brandão, durante a apresentação, informou que foi encaminhado para a Câmara de Itabira o projeto de reforma da cozinha e do vestiário e que conta com o apoio dos vereadores para intermediar junto ao Executivo a liberação dos recursos para a obra. “Nós temos uma demanda para construir uma nova cozinha, que também é uma exigência da Vigilância Sanitária. Se o hospital não tiver uma cozinha adequada, os projetos [futuros], provavelmente, não serão aprovados pelos órgãos sanitários. Então precisamos do apoio de vocês. Já existe o projeto entregue à Câmara de Itabira, projeto que irá gerar impacto social, geração de emprego e renda e economia circular”, afirmou.

HNSD pede ajuda dos vereadores para conseguir recursos com a Prefeitura de Itabira
Edmilson Brandão na tribuna da Câmara de Itabira – Foto: Gustavo Linhares/DeFato

Além disso, o HNSD destacou a importância das emendas parlamentares para a manutenção e crescimentos da instituição. Nesse sentido, os vereadores também têm um papel importantes, já que possuem relações com deputados estaduais e federais e podem ajudar a estreitar o diálogo da instituição com a classe política.

“Qual hospital hoje atende mais de 20 municípios? A fonte de renda do hospital hoje é SUS, plano de saúde e emenda parlamentar. O SUS não cobre metade da despesa, ainda mais que os medicamentos subiram mais de 1000% e tem 20 anos que o governo [federal] não corrigi a tabela do SUS. Então qualquer hospital que dependa do SUS não consegue sobreviver. Nós sobrevivemos, hoje, com os planos de saúde e, acima de tudo, com as emendas parlamentares”, destacou Márcio Labruna.

“Eu não teria condições de fazer esse trabalho junto aos deputados e ficar demonstrando a nossa gratidão se não fosse o apoio de alguns vereadores que representam deputados aqui [em Itabira]. Então queria ter esse contato permanente com os senhores vereadores”, avaliou Márcio Labruna.

Diálogo constante

Durante a apresentação na Câmara de Itabira, o provedor do HNSD, Márcio Labruna, também afirmou que deseja manter um diálogo próximo com os vereadores, com reuniões e prestações de contas regulares.  “Eu vim aqui hoje solicitar que essa prestação de contas seja feita quase que permanentemente. Eu queria propor que ao invés de eu vir até a Câmara que de 15 em 15 dias eu pudesse representar um, dois ou três vereadores. Que ficasse sistematizado para que a Casa entre em contato e que estabelecêssemos esse programa. Eu preciso do apoio dos vereadores, sem o apoio dos vereadores não conseguimos trabalhar”, disse.

HNSD pede ajuda dos vereadores para conseguir recursos com a Prefeitura de Itabira
Márcio Labruna pediu apoio dos vereadores para captação de recursos – Foto: Gustavo Linhares/DeFato

Perdeu a reunião da Câmara de Itabira da última terça-feira? Então confira no vídeo abaixo a íntegra da sessão plenária:

O portal DeFato transmite ao vivo, todas as terças-feiras, a partir das 14h, as reuniões do Legislativo. Para acompanhar basta acessar o nosso canal oficial no YouTube.

MAIS NOTÍCIAS