Brasil: setor de serviços cresce 1,7% em março; é o maior índice desde 2015

Os dados foram compilados pelo IBGE e bom momento atinge a maioria dos estados brasileiros, incluindo Minas Gerais

Brasil: setor de serviços cresce 1,7% em março; é o maior índice desde 2015
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O setor de serviços tem experimentado um momento de alta neste início de 2022. De acordo com informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgadas nesta quinta-feira (12), o setor apresentou alta de 1,7% em março na comparação com o mês anterior.

Essa alta representa uma recuperação frente ao índice registrado em janeiro, quando houve perda de 1,8%, e faz com que o setor alcance o seu maior nível desde maio de 2015 — ficando 7,2% acima do nível de fevereiro de 2020, período pré-pandemia, e 4% abaixo de novembro de 2014, ponto mais alto da série histórica.

A expansão do volume de serviços, de fevereiro para março de 2022, foi acompanhada por todas as cinco atividades investigadas pelo IBGE, com destaque para os transportes (2,7%) e para os serviços de informação e comunicação (1,7%).

Assim, o setor de transportes emplacou o quinto resultado positivo consecutivo, com ganho acumulado de 12,3%. Já o serviços de informação e comunicação recuperaram uma pequena parte da perda acumulada entre dezembro de 2021 e fevereiro de 2022 (-4,7%).

Outros avanços foram registrados pelos setores profissionais, administrativos e complementares (1,5%), prestados às famílias (2,4%) e outros serviços (1,6%).

Alta acontece também nos estados

De acordo com o IBGE, na passagem de fevereiro para março, 24 das 27 unidades da Federação tiveram expansão no volume de serviços em março de 2022, na comparação com o mês imediatamente anterior, acompanhando o crescimento observado no Brasil.

Entre os locais que apontaram taxas positivas nesse mês, o impacto mais importante veio de São Paulo (2,7%), seguido por Minas Gerais (6,4%) Distrito Federal (10,3%), Santa Catarina (4,2%), Rio Grande do Sul (2,6%) e Rio de Janeiro (0,8%). Em contrapartida, Mato Grosso (-3%) exerceu a principal influência negativa em termos regionais.

Desenvolvimento das atividades turísticas

Em março de 2022, o índice de atividades turísticas apontou expansão de 4,5% frente a fevereiro. O bom momento acontece após ter recuado em 0,9% nos dois últimos meses. Vale destacar que o segmento de turismo ainda se encontra 6,5% abaixo do patamar de fevereiro de 2020, período pré-pandemia.

Regionalmente, todos os 12 locais pesquisados acompanharam este movimento de crescimento na atividade turística nacional. A contribuição positiva mais relevante ficou com São Paulo (7%), seguido por Bahia (8%), Santa Catarina (11,8%) e Rio de Janeiro (2,9%).

MAIS NOTÍCIAS